Correio dos leitores

Gostamos de saber a excitação que vos provocamos e algumas das fantasias que vos ocorrem enquanto ficam duros e húmidas a lerem o blog e a verem as nossas fotografias... desde que nos escrevam, as fantasias não ficarão por aí. ;)


Descobri o vosso blog há muito pouco tempo e deixa-me dizer-vos que acho-a linda, aliás muito boa. Não posso deixar de não fantasiar com ela, aliás é a única coisa que posso fazer...

(...)

Mas não foi para falar das minhas experiências que escrevo, quero só dizer-vos que nas minhas fantasias, ela está de salto alto com aqueles sapatos que dá para ver a curva do pé, veste um vestidinho em malhinha, curtos e que permitem ver as curvas todas, eu entro em casa e dirigimo-nos para a sala, onde ficamos os três.

Convidas-me para sentar e beber um whisky, a sala está iluminada com luz indirecta, que faz com que o ambiente se torne mais sensual.

A mesa da sala é baixinha e tu baixas-te para servir o whisky, mas de propósito deixas as pernas direitas o que faz com que o vestido suba e consigo ver as tua nádegas e perceber que não tens nada por baixo.

Viras-te e eu estou ruborizado com aquilo que vi, mas tu não te importas e voltas-te para mim e debruças-te a dar-me o copo, e eu tenho mais uma visão fantástica, as tuas mamas...o meu membro começa a dar um ar da sua graça!

Conversamos sobre trivialidades e ela senta-se entre mim e o marido, o vestido sobe permitindo ver mais do que se devia ver. Eu olho e fico engasgado na conversa, ela percebe e diz em voz alta, "queres ver mais alguma coisa?"

Eu fico estático, mas ela puxa a minha mão e coloca-a na perna, ao mesmo tempo pega na mão do marido e coloca-a na outra perna.

A conversa pára e ela começa a beijar o marido, e ao mesmo tempo puxa-me a mão para entre as suas pernas....

Quente, húmida e macia... era como ela estava.

Eu começo a afagá-la e com o dedo grande começo a tentar passar aos pequenos lábios, ela abre mais as pernas e continua a beijar o marido.

De repente abre o fecho das calças do marido e tira-lhe o membro para fora que rapidamente desaparece naquela boca linda, nisto já está de quatro no sofá, eu vejo o seu cu virado para mim, com o vestido a meio das nádegas, chego-me para trás, tiro-lhe um sapato e beijo-lhe o pé nu, enquanto beijo o pé, tiro o meu membro para fora e faço-a sentir no pé o quanto ele está quente.

Puxo o outro pé e desnudo-o também, lambo os dois, e percorro as pernas todas até conseguir puxar o vestido com a boca até às costas.

Quando lá chego consigo vê-la a mamar a pila do marido, puxando-lhe os tomates para baixo para poder abocanhá-lo todo até ao fundo.

Começo a lamber as nádegas e puxo-lhe o rabo para cima ficando de 4.

Lambo as nádegas e para ela abrir bem pego nos pés e puxo-os para cima; ela fica com os joelhos bem vincados no sofá e bem aberta.

Consigo ver o seu olhinho e a sua coninha já bem húmida com uma mistura da minha saliva e do seu próprio liquido.

O marido levanta-se e sai do sofá, e sai da sala.

Eu já estou a lambê-la percorrendo os dois buracos, desde o fundo das costas até ao clítoris, percorrendo com a língua todo aquele caminho fantástico, sinto um cheiro a sexo que me deixa a picha a latejar.

Ela ordena-me que continue, pois está a quase a vir-se, eu nessa altura aumento o ritmo e concentro-me mais na sua coninha percorrendo do clítoris a vulva, fazendo pequenas penetrações com a minha língua, ela vem-se e aperta a minha cara contra a seu rabo.

Vira-se e passa com a sua boca ao de leve na minha picha, mas não abocanha.

Despe-me as calças, eu ao mesmo tempo tiro a camisa e fico todo nu.

Ela tira o vestido que nesta altura está como um cinto e consigo ver-lhe aquelas mamas fantásticas, que abocanho e aperto com um tesão, como nunca tivesse visto um belo par de mamas.

Apetece-me comê-las, mas ela empurra-me para deitar no sofá e começa-me a beijar com a sua boca linda e fantástica.

Com este beijo a minha picha fica a latejar, as minhas mãos percorrem-lhe o corpo e ela começa a chupar-me.

Sinto aquela boca quente, e ela lambe, chupa, tira-o de vez em quando e beija-me os tomates...começa a chupá-lo com mais ritmo e eu estou a aguentar... puxo-a para cima e quero entrar nela.

Viro-a de costas e penetro-a de uma vez só, ela estava húmida, quente.

De repente entra o marido, já todo nu e com a mão toda lambuzada... tinha estado a ver e a tocar uma punheta.

Ela geme e grita e vem-se outra vez eu carrego com força e com os gemidos não consigo aguentar mais.

Venho-me, aperto-lhe as nádegas, grito e penetro-a mais umas vezes até bem fundo... ficamos apertados mais 1 minuto até nos recompormos...

Entretanto acordo e digo.....foda-se!!!! foi um sonho!!!!

Beijos


Hmmm... Será que é mesmo apenas um sonho?

O marido ficou realmente com um tesão brutal ao ler este "conto"... a única falha é ter de sair e ver de fora. A punheta seria mesmo ali ao lado, enquanto eu olhava para ele com ar complacente a levar com o outro pau, como quem pergunta só com o olhar:

- Posso abrir as pernas, amor?

E ele de certeza iria responder:

- Podes, linda. Fode. Fode bem. Fode tudo. Fode para eu ver e para me vir.

4 Responses to Correio dos leitores

Rei doce disse...

Fantástico conto, muito bem..deu-me imensa tesão..

por prazer disse...

Olá !
Um desejo, ou um sonho...
Muito bom este conto.

por prazer disse...

Olá !
Um desejo, ou um sonho...
Muito bom este conto.

Tuga disse...

Obrigado....

Leave a Reply

Com tecnologia do Blogger.